Páginas

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Luto no Bar de Ferreirinha

Gláucia Dias, 46 anos, deixa legião de amigos e admiradores
Faleceu ontem à noite, no Hospital Promater, em Natal, a chefe de cozinha Gláucia Veras Dias, que estava na UTI desde o início da semana com diagnóstico grave de aneurisma.
Filha de Marta Veras Dias e Armando Dias, conhecido como Jesus (já falecido), Gláucia era natural de Caicó.
Deixa de luto uma legião de amigos, inclusive no meio gastronômico de Natal, onde era profissional de sucesso e respeitada.
Gláucia foi sócia do Bar Benditas, que por anos animou as noites do bairro Petrópolis, na capital do Estado.
Desde às 7h o corpo está sendo velado no Cemitério Morada da Paz de Emaús, Parnamirim.
Às 15h será celebrada uma Missa de Corpo Presente e em seguida ocorrerá o sepultamento.
O Bar de Ferreirinha manifesta sua solidariedade a Marta (mãe), Kelly e Mara (irmãs), Júlia, filha e aos demais familiares de Gláucia, amigos queridos dos editores do blogue.
Com informações do Blog do Heitor Gregório

POEMA PARA GLAUCINHA
Alexandre Gurgel

Flor de maracujá
de forte aroma, intenso
Ser(tão)!
Profusão de talento
Abraços, alma, coração
A própria canção (Alegria Alegria)
Sorriso escancarado, farto
Olhos de jaboticaba
Aboticados, brilhantes
Vivos! Para sempre
Vivos!
Filha da alegria
de generosas gargalhadas
Irreverente, apimentada, inquieta
Inexoravelmente
Ser de brilho farto
de farturas
Pura, candura
Cozinheira rara
de mão cheia, de mãos únicas
Mãos de ancestrais cozinhadeiras
do velho Seridó
Filha de Sant'ana
Do Reino do Caicó
Semente da tradição
Fruto das melhores cepas
Fruta gogoia, mina d'água
Rara joia
Vai Glaucinha...
Empunha teu turbante, segue...
Esse tão pequeno e vil mundo
não cabe mais em ti
Mas "não se esqueça de nós, não desapareça".
A mesa está vazia
Os sabores sem gosto
-- agosto sem graça --
As panelas vazias
Os pratos também
A vida sem tempero, insossa
O seu vazio nos consome.
Mas você vive!
No brilho do sol
Na lua cheia, como a de hoje, em sua homenagem
Na gargalhada que ecoa
Gargalheiras
Na colher de pau, tradição
Fogão de lenha, sertão
No azul do mar
No cheiro das pimentas
Flor de maracujá

Nenhum comentário:

Postar um comentário