Páginas

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Como era o Banco do Brasil?


Ciduca Barros, escritor de Caicó e um dos mais assíduos colaboradores do Bar de Ferreirinha, está com livro novo saindo do forno.
Nosso Banco do Brasil era assim, a sua nova produção literária, será lançado sexta-feira, dia 27 de setembro, na Associação dos Funcionários Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil - AFABB-RN, localizada na Avenida Floriano Peixoto, 616, centro de Natal.
Ciduca é um craque na arte de contar causos, e os leitores deste blogue são testemunhas da sua incrível memória e capacidade de relatar situações inusitadas envolvendo o povo da Civilização do Seridó, que ele declaradamente idolatra.
"Este novo livro, a exemplo de algumas publicações minhas anteriores, é uma coletânea de fatos curiosos e engraçados ocorridos no Banco do Brasil de antigamente", diz ele.
"Nós, do BB de antigamente, não queremos fazer paralelo com o BB de hoje nem criar polêmica com os atuais colegas, que são tão leais e competentes quanto fomos nós, servidores do passado", explica.
A obra Nosso Banco do Brasil era assim poderá ser adquirida na hora do lançamento na AFABB-RN ao preço de R$ 30,00.
O leitor de qualquer parte do Brasil também poderá comprar o seu exemplar através de pedido virtual: basta passar um e-mail para o autor no endereço ciducabarros@hotmail.com, indicar o endereço de entrega e depositar R$ 39,00 na conta que Ciduca indicar.
Os R$ 9,00 a mais servirão para cobrir as despesas de postagem.
Sucesso, conterrâneo!

Preguiça



Se ligue

Ana Paula Balan Manzini    • Psicóloga CRP 06/ 132175 • Psicoterapia Psicanalítica para crianças, adolescentes e adultos. ✉️ Rua Marechal Deodoro, 2371 (entre ruas D. Pedro I e Rui Barbosa). • Centro  • CEP- 13560- 201 • São Carlos- SP BR 🇧🇷 📞 (16) 3419- 3005


Tô ocupado



Vou dar ele pro vizinho

Veja as melhores piadas engraçadas, piadas curtas, boas, ruins, bebados, tumblr, bebados, joãozinho, piada do gatinho, frases, mensagens e memes brasileiros no site.


Taradão



Se ligue professora



domingo, 22 de setembro de 2019

Outro moribundo


Ciduca Barros

Outro moribundo
Comprovando o que eu já afirmei em textos anteriores, a gente do Seridó é engraçada até nos seus últimos momentos. 
O que danado faz com que as pessoas do sertão do Seridó levem, durante toda a sua existência, tudo com bom humor, como se o cotidiano fosse sempre flores, a ponto de saírem-se com ditos espirituosos até nos seus últimos instantes?
Leiam esta outra história.
Ele, assim como muitos da sua geração de seridoenses empedernidos, foi um fazendeiro forte, atuante e empreendedor. 
Tocou as suas terras com muito trabalho e suor.
Tirou da terra os recursos necessários para criar os seus filhos honradamente. 
Os anos se passaram e ele envelheceu. 
Mais anos se passaram e, velho, ele adoeceu para morrer.
No seu leito de morte, minutos antes de partir para sempre, sua esposa entrou no quarto onde ele já agonizava com várias peças de roupa na mão, e lhe perguntou: 
– Joca! Abra os olhos e me diga com qual desses ternos você quer se enterrar.
E, incrivelmente, ele ainda teve forças para lhe obedecer. 
Com muita dificuldade, abriu os olhos e, com a voz muito débil, respondeu:
– Com o de risca de giz!
E sua última vontade foi atendida.

Escritor e colaborador do Bar de Ferreirinha

E tu?



Gilsadas

 A VERDADE É IGUAL A PEIDO.
QUANDO TU SOLTA AFASTA
UM MONTE DE GENTE.
GILSON VARIEDADES

Atividade



Voluntária



Reunião de família



Calmante



sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Gilsadas

 SER IDIOTA É MUITO FÁCIL.DIFÍCIL É NÃO SER
E TER QUE AGUENTAR QUEM É.
GILSON VARIEDADES


Reunião chata



Pedradas



Resultado de imagem para fotos de pedão da ilha no bar de ferreirinha
Estou na fase de esquecer
os erros do passado e começar
a planejar os erros do futuro.
PEDÃO DA ILHA


Fim de namoro



Madrugada

Giovannda Santos

Era madrugada,
quando ainda dormia...
Era madrugada,
quando sonhei com você...
Era madrugada,
quando acordei nos teus braços,
Era madrugada
quando senti o calor do teu corpo...
Era madrugada,
quando parecia que o dia não ia chegar.
Era madrugada,
quando conheci mais uma página da Vida.
Era madrugada,
quando descobri que a Vida
é boa de viver,
enquanto existir você.