Páginas

sábado, 25 de maio de 2019

Escalada

Jorge Braga

Chamar-te colibri sussurrar-te
ao ouvido coisas acidas e ternas
Morder-te no pescoço, nos ombros, nas nadegas
Sentir a humidade entre as tuas pernas

Selar-te as palpebras com saliva
enquanto gritas que me odeias e me amas
as minhas mãos numa roda viva
entre as tuas nádegas e as tuas mamas

A minha língua, a tua língua o meu
pénis, o teu clitóris, a minha língua
o teu clitóris, o meu pénis, a tua língua

De joelhos como se implorasse
Enterra-lo bem fundo entre as tuas pernas
Deixar que um raio nos trespasse.

Lingua grande



Acabando com a esperança do malandro



Agora feda



Entrevista

Uma loira se candidata ao cargo de auxiliar de delegado. O delegado pergunta na entrevista:
- Quanto é 1+1?
Onze, diz a loira.
E o delegado segue a entrevista…
- Quais são os 2 meses que começam com M?
Mês que vem e mês passado.
Irritado com o raciocínio da loira, o delegado lança um desafio:
- Quem matou Getúlio Vargas?
Não sei.
Bom, vá para casa e tente descobrir. Diz o delegado.
Chegando em casa, a mãe da loira pergunta:
- Como foi lá na delegacia, minha filha?
A loira responde:
- A entrevista foi ótima! Primeiro dia de trabalho e já estou investigando um homicídio!

Milagre



quinta-feira, 23 de maio de 2019

Sorriso

Retrato Governanta Sorrir — Fotografia de StockResultado de imagem para pinterest frases e imagens



Vegetariano




Lésbia

Cruz e Souza

Cróton selvagem, tinhorão lascivo, 
planta mortal, carnívora, sangrenta,
da tua carne báquica rebenta
a vermelha explosão de um sangue vivo.

Nesse lábio mordente e convulsivo,
ri, ri, risadas de expressão violenta
o Amor, trágico e triste, e passa, lenta,
a morte, o espasmo gélido, aflitivo...

Lésbia nervosa, fascinante e doente,
cruel e demoníaca serpente
das flamejantes atrações do gozo.

Dos teus seios acídulos, amargos,
fluem capros aromas e os letargos,
os ópios de um luar tuberculose...

Mundo injusto



Pílula



Agora feda



quarta-feira, 22 de maio de 2019

Diarreias mentais - CXLVIII


Condição sine qua non

Nos últimos anos, estamos observando que o poder central do Brasil, não importando quem esteja sentado na cadeira presidencial, vem impingindo ao seu incauto povo uma bandeira salvadora, que, posteriormente, constatamos ser um verdadeiro fiasco.
Vejamos, apenas os casos mais recentes. 
Tivemos um presidente que, sobejamente sabendo que não poderia melhorar as condições dos salários dos trabalhadores, como um desvio de atenção das massas trabalhadoras, ele nominou as pessoas mais aquinhoadas de “marajás”, empreendendo uma campanha mesquinha contra esses. Então, o que assistimos: pessoas simples, compraram aquela ideia idiota e esqueceram de fiscalizar o resto. Resultado? O “hómi” foi defenestrado do poder por excesso de merdas realizadas.
Posteriormente, fomos assolados por um presidente neoliberalista. Com a uma fala mansa, literato e culto, teve o seu mérito quando implantou uma reforma monetária que estabilizou a louca inflação com a qual lutava o povo brasileiro. Bravo e palmas pare o seu governo. No entanto, “caiu de pau” nas empresas estatais brasileiras, privatizando muito delas e, aos funcionários daquelas que restaram, adotou uma criminosa forma de amenizar o rombo em seus orçamentos domésticos: abono salarial. Foram 8 (oito) anos de abonos salariais, que, infelizmente, aqueles funcionários não puderam levar para a sua aposentadoria. Resultado: criou uma geração de aposentados com salários deficientes e injustos.  
Depois, tivemos “o pai dos pobres”. Um trabalhador igual a milhões de brasileiros. Para seus iguais foi transmitido que passariam a comer melhor. Saturou a mídia nacional de publicidade cara e bonita, o povão, mesmo com a barriga “roncando”, acreditou. E então? O Brasil está com milhões de desempregados e o “pai dos pobres” preso sob a acusação de que misturou o dinheiro dele com o do erário público.
Daí chegou “a mãe dos pobres” – uma criação do “pai dos pobres” – trazendo o mesmo DNA da enganação e do engodo demagógico, acrescidos de muita incompetência. Ela pregou a bandeira do Pré-Sal. Segundo a sua publicidade enganosa, o Brasil entraria numa grande prosperidade, graças aos bilhões de galões de petróleo que a PETROBRÁS faria jorrar do solo brasileiro. 
Cadê os bilhões do Pré-sal?
Cadê a combalida PETROBRÁS? 
Cadê a incompetente “mãe dos pobres”?
Entramos no ano da graça de 2019. Eis que, agora, democraticamente eleito, chegou a “salvação da lavoura”. Um novo presidente que promete resolver todos os centenários problemas da nação, desde que...
Observem a condição sine qua non! Os cruciantes problemas sociais brasileiros só poderão ser, definitivamente, solucionados, se o Congresso Nacional aprovar uma Reforma Previdenciária que, fatalmente, sobrará para as cansadas costelas do trabalhador brasileiro, que pagará mais uma conta que nunca foi sua.
Entenderam? 
Segundo os técnicos do novo governo salvador da pátria, a Reforma Previdência, se aprovada, irá economizar trilhões de reais (não me perguntem como eles chegaram a essa estratosférica cifra). Consequentemente, os trilhões de reais economizados serão carreados para sanar os cabeludos problemas sociais do Brasil.
Tudo isto, desde que...

Ciduca Barros é escritor e colaborador do Bar de Ferreirinha

Pergunta e resposta fela da puta

UMA MULHER ABRE A PORTA PARA
O CONVIDADO E PERGUNTA:
-VOCÊ VEIO?
-NÃO,NÃO SOU EU! É OUTRO,VIREI
MAIS TARDE!



Agora feda



Liquidificador

Resultado de imagem para PINTEREST IMAGENS E PIADAS E FRASES


Boteco diferente


 


Imagem

LIZ CHRISTINE

Boca
Linda e rosada
Bem-feita e ocupada

Pele
Sedosa
Ociosa
À espera de um toque

Unhas
Que arranhões provocam

Umbigo e quadris
Que ao prazer convidam
E a libido excitam

Queimando, ardendo, incendiando
Nossas vozes gritando
Nossos corpos extasiados

E o desejo maravilhado
Recomeça inquieto
E para sempre desperto...

Busca por conhecimento

meninos curiosos


terça-feira, 21 de maio de 2019

A Lava Jato na Netflix

Ivar Hartmann

O serviço por streaming Netflix, afora ter conseguido um grande sucesso de tela da televisão, presta um enorme serviço aos brasileiros, ao criar a série O Mecanismo, agora em segunda temporada. Retrata o Brasil de lama que apareceu com o andamento dos inquéritos e processos da, generalizando e com o apelido popular que recebeu, Lava Jato. Nela estão retratados, desde os grandes corruptos e canalhas como Lula e Marcelo Odebrecht, até os ladrões menores: senadores, deputados, governadores, ministros e diretores de autarquia associados a grandes doleiros. Arrolados assim, dá para se sentir a quantidade de bandidos e o volume de dinheiro desviado. Todos compondo, principalmente, os quadros dirigentes petistas-comunistas, associados ou concorrendo com os chefes do PSDB e PMDB, agora batizado de MDB. Tiraram o P, mas os vigaristas continuaram. Com nomes próximos aos reais, com fisionomias próximas às verdadeiras, ninguém deixará de reconhecer os quadrilheiros Lula, Odebrecht ou Aécio Neves. Acompanhando a série, teremos bons momentos para relembrar e refletir sobre nosso passado recente e o que políticos conhecidos e empresários faziam com nosso dinheiro e nosso futuro.
Sem preocupações com os processos eventuais do juiz Toffoli, a série, que tem como tema a narrativa de um pseudo delegado da PF demitido do cargo, narra também que ministros do Supremo decidiram mudar um habeas corpus legítimo de Marcelo Odebrecht, então preso em Curitiba, para facilitar a votação para a cassação de Dilma. Conluio entre poderosos para garantir a posse do seu também corrupto vice-presidente Michel Temer, sempre solto pelo Supremo. Considerando os votos que dão no dia a dia o Lewandowski, o Gilmar e o Toffoli e as notícias que o STF tenta esconder de como agem estes ministros, é possível. Para estar bem informado sobre o Brasil, mais que as notícias diárias que correm pelo whatsapp, vejam a série para aprender porque o Brasil é isso.

ivar4hartmann@gmail.com

Pecado



Engraçado

Resultado de imagem para PINTEREST PIADAS


O amor é foda



Desejos

Douglas Mondo

Senhora buscai em meu corpo teu desejo louco,
sou homem não sou santo a ti abro meu manto
e se beberes na bruma da manhã desse prazer que não é pouco,
deitarei meu corpo em teu leito te causando espanto.

Em desalento, mesmo distante do legado em jeito,
faça de meu corpo tua moradia como febre em estadia,
lânguida, em minha pele com teus delírios me deito
e de belo agrado te aninho em meu pulsante peito.

Sou teu pecado não sejas mulher ternura,
na cama tuas vontades recebo como tua melhor criatura
e pecai...muito, por prazer não perdes a candura.

Faça da carne a música como escultura bêbada
e do poema um rio solto em direção ao revolto mar,
solte o leme da escuna, naufrague nas ondas desse lindo namorar.

Colírio



Orçamento apertado

Sempre que me sobra dinheiro
no fim do mês,eu pergunto:
Qual conta eu esqueci de pagar?
Gilson Variedades