Páginas

quarta-feira, 20 de março de 2019

Diarreias mentais - CXXXIX


Modismo

De tempos em tempos, vemos surgir uma tendência, seja na vestimenta ou na aparência pessoal, chocando os não adeptos, que podemos classificar como modismo. 
Geralmente tem um caráter efêmero, e quando passa, deixa histórias. 
Como exemplo, podemos citar a atual uso de “cabelos afros”, moda que já tivemos no passado, mormente entre jogadores de futebol.
No passado, também tivemos a moda masculina do uso de cabelos longos, que, naturalmente, chocou a geração mais velha daquela época. 
Conta-se que, no tempo dos “cabeludos”, um delegado de polícia, por uma infração qualquer, mandou prender um determinado cidadão, que usava uma longa cabeleira.
Quando o detido entrou na Delegacia, o titular daquela especializada (como dizem os cronistas policiais) o fitou e declarou:
– Primeiramente, eu quero que você saiba que eu não gosto de homem cabeludo!
O cabeludo, demonstrando que também era abusado, devolveu dizendo:
– Pois, seu Delegado, eu não gosto de homem é de jeito nenhum...

Ciduca Barros é escritor e colaborador do Bar de Ferreirinha

Bibicadas

"Lula tá em cana por causa de
uma reforma na porra de um
apartamento.Já Luciano Huck
vive reformando a casa dos
outros e ninguém fala nada."
Bibica Di Barreira


Namoro

Imagem relacionada


Nossos corpos

Noel Ferreira

Nossos corpos
se cruzam e descruzam
como serpentes
cálidas
se enroscam
e se apertam
atarracham
num crescendo
sem limite.

Há gemidos delirantes
há percussões arrítmicas
respirações ofegantes
empastadas em suor
até ao êxtase
e ao torpor.

Não há discurso
erótico
que resista
à mudez
desta nudez
tumultuosamente
sinfônica.

Na academia

Imagem relacionada


Meteoro caiu sobre o Açude Mundo Novo

Foi o maior incidente do tipo nos últimos 311 anos, e o maior desde o ocorrido na Rússia, há 310 anos. Mas a explosão passou praticamente despercebida, porque se deu sobre o Açude do Mundo Novo.
A explosão liberou uma quantidade de energia equivalente a setenta vezes a explosão da bomba atômica lançada pelos EUA sobre Hiroshima, no Japão, em 1945.
José Almino Filho, Dr:Mutú chefe do departamento de defesa planetária da Universidade de Timbaúba dos Batistas(UTB) disse à rádio local que a queda de um meteoro tão grande não causou nenhum problema.


Baú do Bar de Ferreirinha

Resultado de imagem para FOTOS DO BAR DE FERREIRINHA


Jornalista Orlando Rodrigues, 
o grande Caboré (in memoriam)

terça-feira, 19 de março de 2019

Yankees go home!

Ivar Hartmann

“Americanos, vão pra casa.” A frase gritada em passeatas, pichada em muros ou portada em cartazes, é a mais emblemática das manifestações escritas contra os americanos e sua política externa, protetora dos interesses de suas indústrias e dos cidadãos do país. Mas ainda mais poderosa que a generalidade das suas indústrias, é suas indústrias destinadas à produção de armas, convencionais ou não. Mais poderoso que seus cidadãos para decidir sua política externa, é o lobby dos banqueiros dos bancos de Nova York. Estão agora nos noticiários brasileiros. Enquanto seu presidente pretende construir um muro para separar os Estados Unidos do México, o que é uma decisão interna e diz respeito aos interesses do país, ameaça também com o uso da força contra a Venezuela.  Nunca se saberá se Trump foi comprado ou não pelas indústrias bélicas. Considerando as armas e soldados de Maduro e o país que governa, uma invasão yankee implicará no uso de milhares de marines e se a população nacionalista não aceitar esta ingerência externa armada, os americanos viverão outra derrota catastrófica, como no Vietnã.
Sobretudo ao Brasil, Colômbia, Argentina e demais países latinos, não interessa a presença de soldados americanos, em qualquer local do continente sul. Estamos longe das brigas das estrelas mundiais: Rússia, Europa, China e USA e de suas manipulações para produzir líderes ligados a eles e de sobra vender armamentos e manter guerras locais. Os resultados desastrosos sentem e sofrem seus habitantes, enquanto estes grandes que os manipulam, veem crescer os ganhos financeiros e políticos. Os governos latinos devem ter unanimidade no não aceitar soldados imperialistas em nenhum território da América do Sul. Maduro vai cair pela pressão internacional. Invadir o país do petróleo interessa apenas aos yankees, que o fariam, não por um suposto interesse humanitário, mas para garantir ganhos pecuniários. Nações não têm amigos: tem interesses.

ivar4hartmann@gmail.com

Já sabia

Imagem relacionada


Sacanagem

Imagem relacionada


Novos cálculos da UTB apontam que Mercúrio é o planeta mais próximo de Timbaúba

É muito provável que você, assim como milhões de pessoas, tenha aprendido que Vênus é o planeta mais próximo de Timbaúba dos Batistas. Pois é hora de rever este conceito

De acordo com um novo modelo de órbita apresentado nesta semana, no entanto, Mercúrio é o planeta mais próximo da Capital Mundial do Bordado.
A descoberta foi apresentada por cientistas da Universidade de Timbaúba dos Batista (UTB) que criaram um novo modelo de órbita. 
Os pesquisadores afirmam que, até o momento, os estudos que foram feitos se baseavam em uma suposição errada sobre a distância média entre os planetas.
O novo estudo traz um método matemático para calcular, ao longo do tempo, qual o vizinho mais próximo de Timbaúba — no caso, trata-se de Mercúrio, não Vênus, como se achava até então.
Mercúrio está mais próximo do que Vênus de Timbaúba porque ele orbita o Sol mais de perto. Os pesquisadores também descobriram que Mercúrio é o vizinho mais próximo — em média — dos outros sete planetas do Sistema Solar.

Agora feda

64 bundas gostosas esquentar o verão


Primavera

Augusto dos Anjos
Primavera gentil dos meus amores,
Arca cerúlea de ilusões etéreas,
Chova-te o Céu cintilações sidéreas
E a terra chova no teu seio flores!
Esplende, Primavera, os teus fulgores,
Na auréola azul, dos dias teus risonhos,
Tu que sorveste o fel das minhas dores
E me trouxeste o néctar dos teus sonhos!
Cedo virá, porém, o triste outono,
Os dias voltarão a ser tristonhos
E tu hás de dormir o eterno sono,
Num sepulcro de rosas e de flores,
Arca sagrada de cerúleos sonhos,
Primavera gentil dos meus amores!

Baú do Bar de Ferreirinha

Tiririca (in memoriam),Genilde,
Augusto, Salim, Lacava e Luci.
tiririca

segunda-feira, 18 de março de 2019

Quaresma

A quaresma é um período para exercitar a generosidade interiormente.
O silêncio que se abre com o jejum abre as portas para a oração. 
É importante fazer o jejum físico das bebidas alcóolicas e das sobremesas. 
Gilson Variedades, por exemplo, está dando show de sacrifício e resignação.
Desde o início da Quaresma, na quarta-feira de cinzas, toda vez que dá vontade de beber, ele guarda R$ 1,00. 
Vai ficar rico!

Baú do Bar de Ferreirinha

Kaby (in memoriam),
Roberto e Líria Porto.

Madrugada

Liz Christine

Comer de madrugada 
é um ato sublime!
E clandestino.
Como um machão lendo gibi do Cascão

Solitário como masturbação
Nós e estômago
Nós, uma mão
Comer de madrugada
Cair de boca
em comida gelada

À procura de leite condensado
Capuccino com chantilly misturado
Biscoito de morango recheado
Doce-de-leite saboreado
Humm!...
isto dá... tesão...

e nada mais Madrugada
sensação apaixonada
Que a paixão!

A resposta de Caco Dentão

Resultado de imagem para FOTOS DE CACO DENTÃO
Perguntaram a Caco Dentão:
Qual seu estado civil?
Igual a fila de transplante...
Aguardando alguém compatível.


Toque

"O homem medíocre não
acredita no que vê,mas
no que aprende a dizer."


Felicidade

Isto é muito errado! Kkkkkk


domingo, 17 de março de 2019

É um coração, vovô!


Alguém pode explicar 
ao vovô que é pra fazer 
um coração e não uma xana?

A botija


Ciduca Barros

Uma pergunta para aqueles que são mais jovens: vocês sabem o que é uma botija? Considerem como se fosse um tesouro escondido. 
Sabem aquela arca, cheia de dobrões de ouro, que nos filmes vemos os piratas enterrar na ilha deserta? Eis aí a botija. 
Aqui no Nordeste Brasileiro, principalmente no nosso sertão do Seridó, nos idos passados, algumas pessoas tidas “de posses”, por falta de bancos, guardavam, ou melhor, escondiam as suas economias em buracos nas paredes, enterradas nos quintais, sítios e fazendas. 
Muitas delas não tinham o cuidado de desenhar um mapa (a exemplo dos piratas) mostrando onde estava a botija.
Assim, quando faleciam, a sua família não sabia onde ficara o dinheiro. 
Essa situação do passado deu muita margem para especulações, no presente. 
Cresci ouvindo histórias de pessoas que descobriram botijas. Sinceramente? Nunca conheci uma delas, pessoalmente. 
Romualdo Verniz, um sertanejo do Seridó, proprietário rural naquela região, se tornou um aficionado em descobrir uma botija na sua gleba rural. 
O cidadão só falava em botijas. Dizem que o homem cavou tanto, que a sua fazenda parecia um queijo suíço. 
Vivia apoquentando o juízo dos amigos com essa obsessão. 
Por isso, alguém resolveu pregar-lhe uma peça. 
Sabedor de que o fazendeiro gostava de pescar à noite num açude por trás da casa-sede da fazenda, foi justamente ali que o amigo lhe preparou a armadilha.   
Numa linda noite de luar do sertão, estava o amante de botijas, sozinho e tranquilamente com a sua varinha de pescar dentro d’água, quando ouviu uma voz cavernosa e sepulcral, vinda não se sabe donde, perguntar:
– Romualdoooooo, você quer enricar? 
Não deu outra. O velho Romualdo pensou incontinente: 
“Valha-me Deus! As minhas preces foram ouvidas. Esta voz é de uma alma e vem me mostrar onde encontrar uma milionária botija”. 
Mesmo tremendo de temor, mas com o seu desejo superior ao medo, com a voz embargada de emoção, respondeu:
– Eu quero, alminha de Nossa Senhora!
O amigo, contendo-se para não rir, e ainda mantendo a voz do além-túmulo, disparou:
– Então, vá dar a bundaaaaaa!
Nesse momento, no caçador de botijas cessaram o nervosismo, a falta de ar e o formigamento nas juntas. Indignado com a falta de respeito ao caboclo macho que sempre foi, sertanejo fazedor de meninos e avô de vários netos, resolveu dar o troco, na mesma medida, àquela alma atrevida e mandou de volta:
– Vai dar tu, alma fresca!  
Moral da história: Naquela noite, a alma pegou o velho Romualdo “com a boca na botija”. 

Escritor e colaborador do Bar de Ferreirinha

sábado, 16 de março de 2019

Namore um barrigudo

Palavras de uma 
psicóloga experiente

Carla Moura

Tenho um conselho valioso para dar aqui: se você acabou de conhecer um rapaz, ficou com ele algumas vezes e já está começando a imaginar o dia do seu casamento e o nome dos seus filhos, pare agora e me escute! 
Na próxima vez que encontrá-lo, tente disfarçadamente descobrir como é sua barriga. Se for musculosa, torneada, estilo tanquinho, fuja! Comece a correr agora e só pare quando estiver a uma distância segura. É fria, vai por mim.
Homem bom de verdade precisa, obrigatoriamente, ostentar uma barriguinha de chopp. Se não, não presta. Estou me referindo àqueles que, por não colocarem a beleza física acima de tudo, acabaram cultivando uma pancinha adorável. Esses, sim, são pra manter por perto. E eu digo por quê.
Você nunca verá um homem barrigudinho tirando a camisa dentro de uma boate e dançando como um idiota, em cima do balcão. Se fizer isso, é pra fazer graça pra turma e provavelmente será engraçado mesmo. Já os tanquinhos´farão isso esperando que todas as mulheres do recinto caiam de amores - e eu tenho dó das que caem. 
Quando sentam em um boteco, numa tarde de calor, adivinha o que os pançudos pedem pra beber? Cerveja! Ou coca-cola, tudo bem também. Mas você nunca os verá pedindo suco. Ou, pior ainda, um copo com gelo, pra beber a mistura patética de vodka com clight que trouxe de casa.
E você não será informada sobre quantas calorias tem no seu copo de cerveja, porque eles não sabem e nem se importam com essa informação. E no quesito comida, os homens com barriguinha também não deixam a desejar.
Você nunca irá ouvir um ah, amor, `Quarteirão´ é gostoso, mas você podia provar uma `McSalad´ com água de coco. Nunca! Esses homens entendem que, se eles não estão em forma perfeita o tempo todo, você também não precisa estar. 
Mais uma vez, repito: não é pra chegar ao exagero total e mamar leite condensado na lata todo dia! Mas uma gordurinha aqui e ali não matará um relacionamento. Se ele souber cozinhar, então, bingo! Encontrou a sorte grande, amiga. Ele vai fazer pra você todas as delícias que sabe, e nunca torcerá o nariz quando você repetir o prato. Pelo contrário, ficará feliz.
Outra coisa fundamental: homens barrigudinhos são confortáveis! Experimente pegar a tábua de passar roupas e deitar em cima dela. Pois essa é a sensação de se deitar no peito de um musculoso besta. Terrível!
Gostoso mesmo é se encaixar no ombro de um fofinho. Isso é conforto. E na hora de dormir de conchinha, então? Parece que a barriga se encaixa perfeitamente na nossa lombar, e fica sensacional.
Homens com barriga não são metidos, nem prepotentes, nem donos do mundo. Eles sabem conquistar as mulheres por maneiras que excedem a barreira do físico. E eles aprenderam a conversar,a ser bem humorados, a usar o olhar e o sorriso pra conquistar. É por isso que eu digo que homens com barriguinha sabem fazer uma mulher feliz.

Psicóloga, especialista em sexologia

Baú do Bar de Ferreirinha

Preocupação com a crise do petróleo angustiava esta turma
Caicó, 28 de outubro de 2005, uma sexta-feira, em plena Festa do Rosário.
Debate acalorado sobre a crise do petróleo, a seca no sertão e a administração do prefeito Bibi Costa, reúne especialistas em geopolítica internacional, meteorologia e rapapés interioranos no escritório virtual em frente ao Bar de Ferreirinha

Da esquerda para a direita, as seguintes autoridades: Jarbas Tiririca (in memoriam), Roberto Guarda, Ranieri, Pedoca (Pedro Flávio), Didi de Mané de Josino (o maior degustador de caracas do Brasil) e Clementino Faria((in memoriam).
Ésó pra lembrar que neste ano da graça de 2019, o Bar de Ferreirinha estará completando 60 anos de inestimáveis serviços prestados aos bêbados de Caicó e arredores.
Vida longa ao Bar de Ferreirinha!

quarta-feira, 13 de março de 2019

Diarreias mentais - CXXXVIII


Boticas, pharmacias e drogarias

Que nome esquisito, né? Botica.
Mas boticas eram os antigos estabelecimentos onde eram preparados (manipulados) e vendidos os remédios. Isto no tempo em que nossos antepassados tomavam chás, meizinhas e colocavam emplastos. Ou seja, boticas eram as raras farmácias de nossos avós.
Posteriormente, já na geração dos nossos pais, surgiram as pharmacias (com o famoso ph, mesmo), e com estas vieram os primeiros produtos químicos, ou seja, as primeiras drogas medicinais (por isso também são chamadas de drogarias). 
Por quê resolvi falar sobre boticas, farmácias e drogarias?  Porque eu estou impressionado com a grande quantidade de estabelecimentos farmacêuticos existentes nas cidades brasileiras. Na cidade de Natal, por exemplo, em cada quarteirão encontramos uma ou mais. Aqui temos farmácia defronte à farmácia e farmácia vizinha à farmácia. 
Voltando um pouquinho no tempo, na querida Caicó, lá no sertão do Seridó, tínhamos que nos socorrer de apenas três drogarias, pertencentes aos senhores Lino Guerra, José Gurgel e Girson, respectivamente. Atualmente, quantos terão ali?
Em 1961, tive a honra de residir na aprazível e acolhedora cidade de Currais Novos, também situada lá no sertão do Seridó Potiguar, e ali também encontrei apenas três drogarias, cujos proprietários eram os senhores Paulo Andriola, Expedito Araújo e Doutor Manoel, respectivamente. Este último era farmacêutico, mas a população o chamava de doutor. Quantas existirão ali, agora?
Atualmente, temos grandes grupos comerciais do ramo farmacêutico, verdadeiros conglomerados empresariais, com suas lojas imensas, sofisticadas, vistosas e modernas (algumas até com salas de espera), com seus funcionários impecavelmente trajados, que, nos lembrando a rede bancária, exigem até que o comprador digite o seu CPF no momento da compra. 
Para quê? Não sei, respondo eu!
Não seria melhor dividir a sua lucratividade com seus clientes e baratear a medicação? Pergunto eu!
Sabemos que a população brasileira cresceu, mas será que, com a população, também cresceram, na mesma proporção, os males do corpo e da alma?

Ciduca Barros é escritor e colaborador do Bar de Ferreirinha